17 de abril de 2010

Minha viajem para a Alemanha

A noticia e a preparação
Recordando-me bem, foi dia 24 se setembro de 2008 que viajamos, mas recordando mais ainda, foi mais ou menos 1 de agosto que ficamos sabendo da viagem, dia 5 tivemos a certeza e dia 10 ou 15 o grupo ja estava formado.
Trinta alunos escolhidos com sufoco, selecionados, classificados, para ir viajar. De uns 50 alunos somente 30 podiam entrar no grupo, foi realmente triste ter que tirar alguns que de verdade tocavam bem. Mas teria que acontecer. Minha alegria foi enorme demais quando tive a certeza da viajem e mais ainda em saber que minha prima Liliane, quem me inspirou a tocar flauta iria comigo no grupo, e minhas 5 amigas também foram, Laina, Tatalia, Carolina, Mayara e Louise. Mas junto com isso me batia uma leve tristeza, pois dois de meus amigos ficaran, Vagner e Andressa. Áh mas é a vida, aconteceu, passou, ou ficou. Bom tivemos um mês praticamente para aprender ás 30 músicas do repertorio que levariamos a Alemanha e teria que está excelentíssimo, perfeito, ou passariamos vergonha. Brasileiro é fogo não é mesmo? Pois com muito sufoco em um mês sacamos tudo, isso fora as músicas extras que levariamos, tipo a 'imagine - Jhon Lennon' que marcou a viajem entre outras.
Os dias de ensaio antes da viajem..
Simplificados hoje em dia para mim? foram perfeitos! Em uma sala de música pequena e calorenta onde cabiam com sugofo 20 alunos estavam concentrados 30. Todos estavam sempre alegres, quando tocavamos músicas novas então. A Eliane nossa rainha da viajem (nossa professora de música), nossa segunda mãe, sempre nos ensaios agradava os alunos e custumavamos ensaiar uma música a gosto de um aluno sempre. Tipo a Liliane que sempre queria tocar a ''Fantasma da ópera'', chega a ser a cara dela. A Mayara que sempre queria 'isto aqui o que é', eu que sempre queria 'o guarani' ou o 'trenzinho'.. As dificuldades? Foram muitas, dores de cabeça sempre, tristeza por um ensaio mal feito, falta dos alunos por conta de fazer documentos etc. Eu era um exemplo disso tudo, não tinha nem identidade ainda, como viajar sem uma? Foi uma correria, acho que nunca fiz tanta coisa em um mês como fiz nesse agosto de 2008, o qual parece que foi ontem. Mas deu tudo certo, apesar de muitas coisas que teriam colocando-nos para trás, por exemplo eu ter adoecido bem em cima do dia de viajar, esse foi um dos maiores medos do grupo, afinal eu toco a flauta contralto também. Minha vida está ligada a flauta e a música desde essa viajem, ja estava desde antes a paixão e ao hobbi de tocar, mas depois da viajem tem algo a mais no coração, não apenas lembranças.
Bom ainda nos ensaios, gostaria de lembrar o sufoco que eu tive para aprender a falar alemão, que lingua dificil, eu ainda não sei falar mas sei cantar, pois fizemos isso lá em duas músicas, que emocionaram a muitos, inclusive a mim.
Perto da viajem... Eu não tinha uma gota de noção de que estav indo para um outro país, um lugar muito longe da minha casa, acho que por que eu nunca liguei o fato de viver fora de casa e sansando por ai, aprendendo e ensinando. Mas eu sofria antes mesmo de viajar a saudade que eu teria e deixaria das pessoas que ficariam aqui me esperando, estava chegando o dia de viajar, a movimentação agora não era a pressa de documentos ou aprender a músicas e sim a se comprar agazalhos e malas. Eu tratei de pedir emprestado tudo para conhecidos, eu não tinha dinheiro, nessa época nem pensava em trabalhar. Eu estava anciosa para viajar, mas do momento que eu fui até o de voltar não tive noção e não me caiu a fixa que eu estava lá, BEM LÁ, na Alemanha, país de primeiro mundo, Europa. Mas quanta emoção eu sentia. Emoção? Ah, essa foi a palavra chave da viajem toda, por completo, tanto para coisa ruim quanto para coisa boa.
Até que chegou o dia de viajar, iriamos na magrugada do dia 24 para o dia 25 se não me engano, passei o dia 23 arrumando minha malinha pequenininha e ajudando a Liliane com a dela. Passei a tarde me despedindo de quem ficaria aqui. Por mais injusto que pareça acredite nós tivemos aula éla manhã do dia 24, quer mais? Eu tive duas provas, tiramos fotos com professores e alguns alunos, ja pareciamos idolos antes mesmo de ir, representar nossa escola, eu estava tão sem graça, tão normal, por de novo não ter noção do tamanho da viajem que iriamos fazer, fui até a sala da 902 o outro 9º ano, a sala dos meus amigos, achei que so daria tchau e so os veria quando voltasse, mas não, esse apenas tchau foi muita coisa. Assim que entrei na sala a Priscilla ja vinha com os olhos lacrimejando, abracei deu um beijo apenas, mas quando olhei para a Andressa meu coração de partiu ao meio, tudo se misturou, caiu uma leve noção da viajem, uma tristeza imença por ela não comigo, minha melhor amiga ficaria aqui torcendo por mim apenas, ela me abraçou muito forte e então desparou-se a chorar, mas como chorava. E eu? Uma manteiga derretida mais que ela, pus-me a chorar em desespero agarrada ao ombro dela, ah que saudade. Ela me entrrgou uma carta que eu guardo até hoje. Então saimos da escola, mais cedo este dia. Logo de noite fui para o ponto de encontro ( a praça da escola - na praça mauá - Centro ). Que por sinal estava lotada de gente, muitos familiares, so via pessoas sorrindo e felizes, anciedade total, emoção, adrenalina. Até que chegou o momento certo, começaram a entrar no onibus que nos levaria até São Paulo, pois de Guarulhos é que iriamos pegar o avião rumo a Alemanha. Me despedi somente com um beijo no rosto de quem ficaria, so haviam 3 pessoas que eu deixaria. Eu lembro também de chorar litros quando o ônibus se foi, e imagino também que se eu viajasse dessa vez, me sentiria bem mais segura e não ficaria em prantos a viajem toda, deixando de aproveitar cada segundo como eu fiz dessa vez. Dormi bastante, dei um alô para a camera da Bombom e lá fomos nós, a caminho da Alemanha.
continua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...