2 de dezembro de 2011

Minha vida minha história.

Eu estava lá, quando minha tia foi ter seu primeiro bebê depois de acompanha-la vinte e quatro horas por dia durante os nove meses. Eu estava lá quando aquele cara me foi ao trabalho da minha mãe a primeira vez, estava lá quando ele foi a minha casa a primeira vez e quando pediu que minha mãe me colocasse de castigo a primeira vez. Eu vi meus segundos pais se separarem, eu sofri, eu chorei, doeu e doeu bastante para não ter sido esquecido até hoje. Eu estava lá quando aquele cara foi morar com minha mãe, vi minha tia ir embora por não ter onde ficar, nem como aturar aquela 'mala' daquele cara.

Eu estava lá quando o Fábio saiu de casa dizendo que voltaria logo e nunca mais voltou. Eu vi o desespero da mãe dele quando recebeu a noticia de que nunca mais poderíamos ve-lo. Eu estava lá quando ele quis me bater a primeira vez, eu vi a própria mãe dele fugir de medo. Eu estava lá quando ele me colocou para fora de casa, a primeira, a segunda a terceira vez, eu vi minha mãe não mover um dedo para impedir aquilo. Eu me vi perdida, eu chorei, eu sofri, dos 13 aos 17 -hoje. Eu passei vergonha na escola e descriminação por ir morar com namorado aos 14 anos e na casa de uma amiga quase 3 anos da minha vida. Eu aguentei calada a dor de escutar coisas que não eram verdades sobre minha família, sobre aqueles que eu amo e prezo. Eu vi muitos me oferecerem ajuda, mas poucos sendo verdadeiros.


Eu estava la, naquela lan house, quando acabei desenrolando com meu melhor amigo que se tornou meu primeiro namorado e o primeiro homem da minha vida, eu vi, eu sofri, ele não mereceu meu amor.Eu estava lá diante do meu primeiro emprego e uma lan house aos 14 anos, depois de ter sido babá da minha prima e uns bebês la da rua. Eu senti a dor de ter que sair da lan house, onde eu morava e tive que arranjar outro lugar. Eu estava lá no América, fazendo loucura, dando desculpa pelos problemas que eu tinha em minha vida, quando  o conheci, meu grande amor, o homem que eu pretendo casar. Eu vi, eu estava lá, eu senti..

Eu estava lá, quando recebi um telefonema estranho de um número desconhecido e quando escutei a voz, eu vi meu corpo congelar pois do outro lado da linha ele aparecia, depois de 17 anos meu pai chegou, então essa história pode começar a se desfechar..

2 comentários:

  1. Viviane, é uma história intensa! Fico sem palavras.

    Bom final de semana.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Pura e verdadeiramente tocante...Você é Incrével.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...