1 de agosto de 2012

Histórias de uma ida ao país Alemanha (3)

Demorei séculos para escrever a próxima, mas é que são tantas que como eu ja disse daria um livro, e que belo livro de comedia e emoção.

A Busca por guloseimas na madruga!

Era de noite já, todos os alunos estavam com a barriga chorando de fome, não que deixavam a gente sem comida, jamais, era so que não conseguíamos nos adaptar com aquela comida tão, digamos... diferente. A não ser a Mariana né galera, que comia de tudo que existia até o tal repolhão nojento. Pois é, lembro que estávamos em Colonia e que andávamos de um lado para o outro da cidadezinha em um busão super confortável que tinha uma mulher terrível -estilo esses filmes infantil que tem uma bruxa má, 'Madeleine' é um ótimo exemplo rs. Mas isso é outra história e outro post para outro dia.

Pois é e foi depois de mais um dia cansativo de trabalho apresentações e tudo que fazíamos lá que aconteceu. No albergue com escadas estilo de mármore, os meninos dormiam no primeiro andar e nós as meninas no segundo, lá como na maioria dos albergues, ficávamos dividias em no minimo seis garotas em cada quarto, no segundo andar tinha três quartos de alunas se não me engano e um ou dois com professores e responsáveis -que ja não eram muitos, comparado ao número de alunos.
Meu quarto com minhas cinco amigas que viveram as mais extraordinárias aventuras comigo, era aquele que todos se impressionavam pelo fato de estar sempre limpo, e sem roupas espalhadas e tudo sempre muito organizado (o nosso segredo para isso eu também conto em outro post rs).

E foi na porta desse quarto que [...]

de repente no meio de uma reunião básica alguém bateu na porta, em uma especie de código as escondidas. Fomos abrir e ficamos chocadas com a visita de ... bom, garotos, rs. Eles quase não iam lá. Foi uma correria, uma bagunça, desce daqui, sobe de lá, pega dinheiro, grita, chama, puxa e eu estava sem entender nada, até que alguém me grita:
- Pega dinheiro, rápido, pega algum dinheiro, os meninos estão armando de ir na rua comprar biscoitos!!
''Que? como assim? vocês estão loucos? está de noite, vocês não conhecem nada aqui, gente nós estamos na Alemanha é outro país, vocês lembram?!''

Bom até hoje eu não sei como tiveram essa coragem, não tenho certeza, mas acho que a ideia veio do Felipe Chagas e bom, vendo de quem veio é fato que isso daria em merda, rs. Todos fizeram seus pedidos e deram seus míseros euros para eles, que saíram pelas ruas a fora atras de guloseimas, com a promessa de que, quando voltassem faríamos uma 'festinha' no quarto deles com todos os comes e bebes. Sim, essa seria uma noite maravilhosa e fantástica, uma ideia super radical, como diz minha irmã de seis anos, se não fosse o bendito 'se...'

Passou bastante tempo, imagino mais ou menos uma hora quase, e claro os poucos meninos que haviam ficado e nós meninas, ja estávamos desesperadas com a demora da volta deles. De repente outro batido na porta, ja fui toda animada p. ver quem era e dessa vez não eram os meninos, dei de cara justamente com um dos nossos responsáveis, eu não sei mentir, não lembro quem mentiu e não sei contar porque, mas sei que quando a porta do nosso quarto foi fechada, saímos em disparadas pelas escadas a baixo com a maior missão que ja foi nos passada... Fingir que os garotos estavam lá.

A pessoas circuladas, eram as meninas do meu quarto, rs.
Com certeza, como de costume o nosso responsável passaria em todos os quartos e enquanto um grupo prendia ele em um quarto, nossa missão era essa. Estilo qualquer filme de suspense, mistério e ação la estávamos nós no quarto deles escondidas, aquela hora da noite fazendo bolos de lençóis enrolados para fazer de conta que eram corpos, ja cobertos e dormindo. A intenção era fingir que todos ja estavam mais que cansados e no decimo sono. Enrolamos todas as camas, catando até mochilas e vestindo-as com casacos dos donos para ficar melhor o disfarce. Apagamos a luz e deixamos um leve e baixo clarão de um abaju... Pronto, missão cumprida! Voltamos satisfeitas para o quarto, quando um tempo depois chegaram nossas comidas escondidas, salvas porem com rostos tristes. So recordo de escutar algum deles dizer:
-Fodeu, fomos pegos!
[...]
No dia seguinte, ja não era novidade para ninguém, todas as meninas com caras de tristes e desconfiadas. Fomos tomar nosso cafe da manhã na sala de comes e bebes -que não era um refeitório, pelo menos não igual aos daqui do Brasil. E então a noticia era de que os nossos amigos, que sofreram pela gente, que foram as ruas de noite em busca de algo para nos alimentar como príncipes, arriscando suas vidas -ta, chega, modo drama desconectado rs, por fim, eles seriam deportados.

'' Deportados? Espera! Como assim deportados? Isso é impossível, não podemos ficar sem eles, quem vai fazer parte da percussão? O grupo vai ficar desfalcado! Totalmente errado isso! Quem vai carregar instrumentos? u.ú quem vaio isso, quem vai aquilo... ''
Foi um choque para todos e passamos aquele dia inteiro com caras de triste e desconfiados por tudo, sem se sentir culpado por nada que fizemos  e pensando que se voltasse no tempo faríamos tudo de novo, afinal, somos jovens e gostamos é disso, aventura e história para contar!

ps: ninguém foi deportado e eu ainda tenho mil e uma histórias para escrever, até a próxima.


Um comentário:

  1. KKKKKKKK
    Ri muito nessa!
    E ainda ameaçaram deportar, vê se pode isso?
    Agora, eu me pergunto como foi essa história na visão dos garotos né?
    Com certeza, devem ter aprontando muito mais pela Alemanha

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...