22 de agosto de 2013

E agora virgindade?

Eu não posso simplismente chegar assim e ficar a tarde inteira na casa de um menino, não quando eu ja provei o gosto do beijo dele, não quando na verdade estamos cheios de desejo de ficar juntos e nos beijarmos novamente. Minha mãe com certeza iria se decepcionar se soubesse disso naquele dia.

Me convenci, afinal de contas, ele era meu melhor amigo e até mesmo meus parentes gostavam dele, além de não acharem maldade nenhuma, bom, eu sabia exatamente onde a maldade estava, alias nós dois sabiamos e eramos dois jovens cheios de vida e vondates.

Tinha acabado de sair da escola, estava chovendo demais aquela tarde, quando cheguei lá, seus pais ainda estavam em casa, me receberam super bem, mas eu ainda sentia vergonha de olhar nos olhos deles, sabe-se lá o porque, mas tinha. Fui convidada a entrar e o pai dele riu e brincou com nós dois quando me escutou dizer. -Oi meu bem, posso entrar? Está chovendo muito!

Eu estava ensopada, suja de lama, cabelos partidos ao meio e totalmente bagunçados, convenhamos que eu nunca fui cuidadosa com eles. Entrei e me enxuguei com a toalha dele, fiquei embreagada de estar alí, na casa dele, com os pais dele e a toalha dele me salvando de um resfriado.

Seus pais se despediram e como se fosse a coisa mais normal do mundo, nos deixou a sós, na verdade eu não estava esperando encontrar os pais dele em casa, mas ja que estavam lá, imaginei que não sairiam mais, que cabeça a minha, com 13 anos, imaginava que os adultos não precisavam trabalhar?

Por fim ali estavamos, somente ele e eu, deitamos no sofá e começamos a conversar. Eu até pensei que ele fosse ser, digamos que, desrespeitoso, sempre o vi como 'o cara' do colégio, achei que ele fosse me levar a game over daquele momento, ele tinha 16 anos e homens nessa idade ja são homens se é que você me entende.

Eu era virgem, tinha acabado de aprender a beijar, ja havia beijado bastante comparado as garotas da minha idade e não aos dias de hoje, imaginei que ele fosse rir de mim, ou talvez me forçar a algo, eu tremia so de pensar em como contaria que eu não iria saber sasiar seus desejos.

A realidade foi outra, ficamos deitados a tarde inteira conversando, rindo dos outros, olhando um rapaz colocar uma porta no quarto dos pais dele -é, não ficamos bem sozinhos assim, e foi tudo diferente do que eu, por um momento imaginei. 

''A virgindade deve realmente ser respeitada e meninos que fazem isso com você merecem todo seu respeito! Tudo acontece quando tem que acontecer, no seu tempo, no momento certo, não tenham pressa meninas, nem tenham medo. Você não será menos amada, por se segurar mais tempo, assim como não vai ser uma 'vadia' por se entregar cedo!'' Renato de Almeida Romar

Um comentário:

  1. que fofo, é ficticio?
    se não for case com ele hihi
    meu marido foi meu primeiro homem em muitas coisas e me orgulho disso, pois a virgindade existe em varias partes do corpo e quando rompidas com a pessoa certa voc vai se sentir feliz e não amedrontada hihi
    adorei o texto
    beijooos

    peequenavaidosa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...