20 de agosto de 2014

Ele era conhecido como Pila

Vivo no meio de uma gaveta entupida de lembranças, no meio delas vejo lágrimas, sorrisos, gargalhadas, medo e até mesmo coragem. Cada lembrança seja ela grande, pequena, amarga ou doce, eu levo e guardo comigo. Contar sobre a infância é sempre tão gostoso e tão fácil.

Toda essa reflexão com certeza veio de um pensamento e de repente esse pensamento tem um motivo também, eu costumo pensar mais rápido do que posso agir, falar e até mesmo escrever e foi exatamente isso que aconteceu naquela tarde depois que eu deixei a academia de dança.

Desci a rua tagarelando como sempre e escutei alguém falar junto comigo, mas não comigo, muito menos com quem eu estava falando, quando olhei vi rapidamente cenas da minha infância ali parado na minha frente, dizer que ele estava parado é uma grande mentira, pois quem o conhece sabe que ele fica dançando no mesmo lugar enquanto fala sozinho.

E la estava ele, 'fulano de tal' mais conhecido como Pila, não me pergunte porque esse apelido, mas eu juro de pé junto que tem haver com a história de vida dele, se um dia eu descobrir que na verdade esse é realmente o nome de cartório dele terei uma crise de riso, assim como a que eu tive ao lembrar de algumas histórias dele, nesses segundos que eu o encontrei.

O Pila era um vizinho meu, algumas pessoas acham que ele é morador de rua, pudera, ele anda sem blusa, com uma bermuda surrada mostrando o que se pode dizer, ''cofrinho''. Ele não é gordo, tem o rosto meio inchado a barba mal feita e vive com um radio de pilha desses de 1990, escutando alguma coisa indecifrável, isso porque ele mesmo fala mais alto e mais agudo que o rádio.

Na realidade o Pila tem casa e seu hobby parece ficar sentado na calçada conversando só, já ouvi histórias de que ele fica contando sua história de vida e 'revivendo' momentos de terror e medo (os que o deixaram meio lelé), deve ser verdade pois já o vi discutindo com uns 10 mil traficantes de nomes diferentes e há quem diga que ele ficou 'maluco' por conta de drogas.

O Pila é engraçado, mesmo sem querer ser, as crianças (eu) tem medo dele, ele fala só, dança só, canta e fala com uma voz fina, não é uma pessoa normal. as no geral o Pila é um carinha muito do simpático e prestativo, aqueles que ele conhece, ele sempre faz questão de falar, era assim que acontecia quando minha mãe descia a ladeira e de repente eu escutava aquele:
- Faaaala Nilsaaaa!
Claro que eu apertada a mão dela e me escondia atras de suas pernas, depois eu começava a rir escondido, pois há quem diga também, que mesmo maluco, o Pila não curte ser 'zoado' e até já correu atras de uma pessoa por isso, eu não queria ser a próxima vitima!

Quando cresci, comecei a perceber algumas coisas na maluquice do Pila, que de maluco eu já acho que não tem nada, vai ver ele vive em êxtase. Eu brincava dizendo que naquela ladeira existia um 'disque Pila' pois era incrível como para todo trabalho pesado ou preguiçoso, no final só gritavam o seu nome.

Era um tal de ''Pila corta o mato, Pila leva o entulho, Pila carrega isso e aquilo, Pila vai no mercado, Pila busca lá pra mim, Pila isso, Pila aquilo'' É claro que esse trabalho todo não era de graça né, duvido o Pila fazer alguma coisa que não ganhasse um real os seus soados 50 centavos do 'pingado'. É uma pena, pois todos sabem como ele iria gastar esses 50 centavos, de repente esperto é o Pila que vive feliz assim.

Me acompanhe nas redes sociais:
                                                       Twitter | Instagram  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...