22 de dezembro de 2016

Chalkboard Formatura Escolar

Bom dia sim, bora blogar?
Quero falar de um assunto, mas se eu não der uma volta de 360, ir até a China e criar uma postagem de 15 parágrafos para falar do assunto propriamente dito somente no último, não sou eu. Então, a minha introdução eu quero contar um pensamento complexo meu, de que  a vida está mais natural e espontânea hoje, o que eu quero dizer com isso? 

Que antes eu seguia uma linha escritora, meio travada, postando somente uns desabafos e uns romances sem pé nem cabeça que eu via, ouvia e vivia por ai. Mas a blogosfera vem falecendo aos poucos -o que acaba comigo, respiro esse blog desde 2009 e de 400 leitores, hoje tenho fiéis 9 ou 5, o que de certa forma me faz, mudar meu jeito e explica todo esse meu infinito blablablá aqui.
Tem gente que faz o Facebook de twitter, bora fazer do blog, um blog, deixa o livro para um futuro (próximo espero).

Cá estamos nas últimas semanas do ano de 2016, graças a Deus diga-se de passagem, pois eu que nunca fui fã de ano par, criei mais antipatia ainda depois deste. O fato é que a correria imensa de final de ano pela primeira vez me afetou em cheio, lembrei da minha mãe dizendo que precisava comprar bacalhau três semanas antes do natal e eu compreendi sinceramente o porque dessa pressa.

Na primeira semana de Dezembro eu disse 'sim' para três grandes trabalhos com as artes em chalkboard, as encomendas do Rafael Lino, a futura festa de 15 anos da Ketlen e as já divulgadas, artes dos formandos do Colégio Sonja Kill desse ano, eu quis me matar, sinto isso, agora que tudo já passou e, eu sobrevivi (aplausos).

Quando a Inara Rocha veio fazer um orçamento comigo sobre ''alguma coisa legal, com o seu trabalho, para minha formatura'', eu explodi de tanta coisa legal que podíamos fazer, mas de repente não teríamos tempo. Então me restou uma ideia bem empolgante de criar uma arte para cada aluno personalizada com ''Que tipo de aluno você é'', no momento eu fiquei me imaginando um formando encontrando essa arte anos depois e relembrando essa época. 

Foi como se eu tivesse me visto hoje, querendo muito ter tido essa lembrança da minha formatura e época de escola. Quem se formou na minha época tem de lembrança os famosos ''leques'' que a professora de português fazia todo inicio e fim de ano, digamos que ter encontrado muitos deles uma semana antes desse orçamento com a Inara, tenha tipo 90% de culpa nessa minha ideia.

A Inara adorou a ideia, mergulhou junto comigo e rapidamente envolveu a turma toda, não foi tão fácil quanto parece pegar todas as informações, mas até a última semana nasceram todas as artes e como me divertiu criar cada uma delas. 

Os formandos da 3001 desse ano, são autênticos, cheios de vida, engraçados e se amam, põe amor nisso. Eles são típicos adolescentes, cheios de gás, da para notar de longe, a maioria gosta das aulas de inglês, parabéns professora Joyce, acho que você despertou algo neles e uma coisa que vi em comum e achei muito bonito é que se o futuro depender dessa geração, estamos com sorte, pois a maioria tem como sonho, ajudar o próximo, muito lindo galera, meus parabéns!

Mais uma vez obrigada por me deixar fazer parte desse momento de vocês espero que tenham gostado ♥

18 de novembro de 2016

Tudo que se pode ler em tantas fases.

Vamos dar uma pausa?

''Não, desculpe, mas eu tenho vinte e dois anos e eu simplesmente não posso dar uma pausa! Faz um ano que eu me tornei mãe e apesar de morar junto com meu noivo  aproximadamente 4 anos, estamos no início de uma nova fase, casa nova! Está tudo completamente bagunçado, já tem 4 meses que estamos nessa casa e mesmo sendo a anterior bem menor, ainda não conseguimos arrumar espaço para todas nossas coisas e sonhos!''

Andei lendo meu blog, online para vocês desde março de 2010, caramba, são 6 anos compartilhando com vocês diversas fases da minha vida, um eterno crescimento em cada uma delas. Eu ri bastante com umas, quase infartei com muitos erros, relembrei vários momentos, anos, meses, dias... E o principal, vi uma Viviane diferente em cada texto, cada palavra, com uma essência que não mudou de maneira nenhuma, a garra/vontade/querer/força. 

Meus textos não são famosos, meu blog não é famoso, não tenho milhões de leitores e visitantes por dia ou por postagem, ouve uma época -no início, que cada texto tinha por volta uns 300 leitores em menos de uma hora no ar, ouve momento em que eu passei meses a fora calada sem escrever nada, ouve momento em que eu vivi aventuras que eu necessitada falar... Ouve momentos que mesmo após uma semana no ar, o texto só recebia no máximo 30 leitores e momentos em que em um dia uma única postagem chegou a dois mil cliques.

Passei horas fazendo uma avaliação, e é verdade, as pessoas usam assuntos para ganhar fama e sucesso e foi exatamente isso que eu não encontrei aqui. O Tudo que se pode ler, vive em uma eterna mudança, em eternas fases, crescimentos, tpms, sorrisos, gargalhadas, choros, exclusão, fama, decepção, sucesso ... Porque ele é simplesmente meu 4º maior companheiro.

Aqui eu comecei uma adolescente de 15 para 16 anos, que fazia diário de escola, não conhecia o pai e vivia escrevendo corações nos cadernos. Vocês viram meu relacionamento amadurecer e acompanharam de perto ano a ano nossa história. Lendo e relendo, senti que me tornei uma adolescente guerreira, batalhadora e ainda profundamente romântica e apaixonada. No meio de tantas fases vocês tiveram acesso único a meus medos, anseios, sonhos e até mesmo decepções. ''Ontem'' eu cheguei de repente com a surpresa de que eu me tornaria mãe, como um tombo da cama, o blog simplesmente renasceu junto comigo e com minha família...

Então, aos pouquinhos, de mansinho, hoje, eu ''venho apresentar'' a Viviane, mãe, cristã, ainda romântica e apaixonada pelo mesmo homem e também dona do próprio negocio, meu mais novo amor ... Arteszih ♥ Acho que ainda vou falar bastante sobre Tudo que se pode ler, por aqui rs.

5 de outubro de 2016

Chalkboard para casal @arteszih

Mais um trabalho feito com muito amor.
O romance está no ar. E ai o que me dizem?
Somente a arte 15$





















Encomendas e orçamentos
Facebook/arteszih
Instagram/arteszih


29 de setembro de 2016

Insignificante escada.


Você estava lá, apoiado naquele mudo observando a ‘’vista’’ que se pode ver daquele lado, não tão bonita quanto poderia ser, mas coberta de lembranças. Certa vez eu te disse que em todo lugar sempre haveria um pouco de nós, um lugar, uma música, um perfume no ar, ou até mesmo uma insignificante escada.

Quem dera eu pudesse garantir que todas as vezes em que você estivesse naquele lugar, respiraria fundo de olhos fechados e lembraria daquele dia, do beijo que deixou de me dar e o abraço que ficou no ar. Por algumas vezes cheguei a pensar que muitas coisas que você deixou de fazer, mudariam nossa vida.

Quem dera eu pudesse garantir que depois de lembrar disso, você poderia até sentir uma ponta de arrependimento, mas mais que isso, sentiria saudade e acabaria sorrindo. De repente um pequeno filme poderia passar na sua cabeça com todos os pequenos, rápidos e profundos momentos que passamos juntos.

Não gosto que você beba, mas tenho certeza que um copo de cerveja ou vinho, uma noite tranquila e a companhia de algumas músicas com certeza faria você viajar. Parado ali naquela varanda, de repente debruçado naquele muro, você olhe para cima na espera de me ver ali, a sua espera.  

Eu não estarei lá a sua espera como aquela sexta feira, mas em todas as vezes que me procurar em seus pensamentos espero estar lá, ou ali, com o mesmo amor de sempre para te dar.

19 de setembro de 2016

Farol.

''Não dá para ninguém nos ver aqui, ainda que nos vejam, não saberão que somos nós!''



As noites de verão eram sempre bem movimentadas naquele lugar maravilhoso. Uns dizem que ''nunca será'' mas eu bato a mão no peito para afirmar que Paquetá é sim, um lugar paradisíaco!
Tão bela, tão formosa, cheia de curvas e história para contar, essa é a verdadeira Ilha de Paquetá, mais conhecida como Ilha dos Amores. A, o amor... A, os apaixonados.

Aquele verão, nós deveríamos estar beirando os primeiros meses de namoro, o décimo terceiro mês para ser mais especifica. Era férias, era janeiro, era verão, o sol indo dormir mais tarde, o dia durando mais, as pessoas naturalmente mais vivas e animadas, a cerveja mais gelada, as roupas mais frescas, os cabelos mais naturais.

De dia as praias ficavam bastante movimentadas, de tarde um churrasco ou encontro com a galera e de noite sempre tinha um evento legal no Iate Clube ou no Municipal. Ô época boa (suspiro). André e eu costumávamos sair de dia pela ilha para simplesmente adorar a beleza do lugar, tirávamos varias fotos de casais apaixonados e fazíamos vários planos para o futuro, sonhando sem ter certeza de que ele existiria de fato. Legal é hoje, com nosso filho e nossa casa, olhar para trás e lembrar desses dias... É de fato deu tudo certo, aliás, está dando.

Aquele dia foi realmente um tipico dia de verão em Paquetá. Quando a noite caiu, ele me puxou pelo braço e disse que queria me mostrar um lugar. Sempre gostei de surpresas mesmo sem saber reagir a elas. Lembro como se tivesse sido ontem. Ele me levando na bicicleta. Eu amo sentir o vento batendo no meu rosto quando andamos de bicicleta, mais uma coisa tipica de Paquetá. Eu não sei andar e a sete anos eu frequento a Ilha e ele nunca quis me ensinar, não é má vontade, uma vez ele me disse que não me ensinada porque queria sempre me levar, para sempre ficarmos juntinhos. Eu achei até muito fofo para alguém que não é nada romântico.

Chegamos. E lá estávamos nós dois, de frente para uma ''passarela'' que parecia dar no nada, eu questionei se era realmente ali o ''lugar'' que ele queria me levar e ele afirmou com a cabeça enquanto esticava o braço para eu ir na frente. Uma coisa eu tenho que dizer, o que ele não tem de romântico ele tem de cavalheiro. A passarela era extreita e as vezes batia uns respingos D'Água nas minhas pernas. 

A única iluminação que tinha era da Lua e das estrelas, realmente um clima maravilhoso. No final da ''passarela'' tinha um farol, e de frente realmente era 'nada' além de um marzão escuro iluminado pela lua. Ficamos ali por horas, juntos, abraçado, dividindo um espaço bem apertado, ali foi um dos lugares que sonhamos acordados com o Raphael. Jovens, recém namorados, tão apaixonados. 
Nem se voltarmos neste lugar hoje em dia, seria tão especial como foi aquela primeira vez, mesmo que no meio da noite, a barca passasse novamente na hora certa, fazendo nós nos calarmos e observamos como é linda a marola que ela deixa no mar ao desfilar ao redor de Paquetá. Mas quando eu fecho os olhos e consigo sentir a mesma emoção que aquela noite. Deixo aqui um pouco de romantismo e amor, dos nossos primeiros meses juntos.


30 de agosto de 2016

Novamente na Gaveta


Quando nos conhecemos a mais ou menos nove anos atrás, nunca imaginaríamos que hoje teríamos vivido essas estranhas experiências que vivemos juntos.  Nem passaria na nossa cabeça o quanto ainda teríamos para contar sobre a gente, esse ‘’a gente’’ que não existe e existe sim ao mesmo tempo.

Respiramos fundo e pensamos, somos amigos! Bons, doces e apaixonados amigos. A gente se gosta, quer se cuidar, sente saudade, quer rir junto, quer fazer brincadeiras. As vezes pensa um no outro, quer o outro feliz mesmo que para isso um de nós sofra um pouco. Se preocupa, sente a dor um do outro e se ajuda, ajuda muito!

A todo momento estamos conectado, mesmo que desconectados. Mesmo que longe, mesmo que em outros momentos da vida. Ali no fundo sempre uma pequena e boba coisa do dia-a-dia, irá lembrar 'a gente', ou você, ou eu. No fundo, há gente em uma diversidade de coisas, cheiros, músicas, lugares, becos, escadas... escadas ...

A gente mente sobre tudo isso quase sempre. Quase sempre mente sobre o sentimento mesmo sabendo que nós mesmo não nos enganamos. A gente quase se fala no olhar e toda vez que um desanda nos tropeços de sentimentalismo o outro vai lá e abre os olhos. É quase que, um balde de água fria, um machuca o outro da mesma maneira que consola.

É um tal de morde e assopra, um tal de serei claramente sincero (a), estamos apaixonados e no mesmo instante literalmete, a frieza de um, tchau, não quero falar com você, ou ''nunca estivemos apaixonados''.

É quase que inexplicável, mas aqui, eu to explicando tudo, nem é tão difícil assim como a gente pensa ne, mas aqui, só entre a gente, onde será que esse 'a gente' vai parar ?

20 de agosto de 2016

Um amor a ponto de matar.

Acorda Julieta, o dia hoje amanheceu nublado, mas quando teu interior está em paz, até uma nuvem carregada parece o brilho do sol. Sabe, estava aqui viajando nos meus pensamentos e lembrei de quando você me contou o quanto gostava daquele menino de pele morena, você vivia dizendo que não sabia o que era amar, mas acreditava plenamente no amor.

Tantas vezes te vi chorar escondida por promessas de amor que tinham atitudes tão controversas as juras  que ele te fazia. Ah, Julieta, inumeras vezes eu te disse que aquele amor era perigoso demais. Desculpar erros, aceitar situações, engolir a seco cenas e comentários cruéis, não são caracteristicas do amor. Eu disse que sua situação parecia doença, você não podia aceitar o que ele lhe fazia passar.

Tão curioso como gato atras da porta, era o romance de vocês. Não sabia se mais uma vez acreditava e ficava, ou se enfretava as consequencias e tentaria morrer de amor. 'Morrer de amor', á quanta bobeira, a gente sempre acha que vai de fato morrer, que a depressão nunca vai passar e que nunca mais conseguirá parar de comer doces e chorar vendo filmes romanticos.

Mas olha aí, o mundo girou e em menos de uma vida você se reergueu. Julieta, Julieta, cuida desse teu coração, pois mulher nenhuma merece humilhação pelo amor que for, pelo preço que for, pela vida que for!

14 de agosto de 2016

Carta aos papais de redes sociais.

‘’Mamãe ama, mamãe cuida!’’ 

É em cima dessa frase que vi esses dias em uma postagem aleatória do facebook , que andei refletindo e resolvi conversar um pouco sobre. Esse texto questionava, em como nos dias de hoje, existem as famosas ''mamães de redes sociais''. Eu não concordo em dizer que a culpa disso é a idade, pois antigamente as mulheres tinham filho mais jovens que hoje, minha avó é mãe de uns 7 e começou a criagem aos 14, aliás, todos são bem criados, com amor, marcas de bambú nas pernas e educação (risos a parte).

Fiquei um tempo tentando encontrar uma razão para mães e pais que vivem essa vida de amor incondicional em rede social e na realidade, eu não encontrei um único 'culpado' ou motivo. No final dos pensamentos conclui que isso é simplesmente algo de dentro da pessoa, isso é uma mistura de carater, costume, cultura, medo e a principal, falta de responsabilidade. Porque covenhamos, a palavra filho, é sinonimo de responsabilidade, acima de tudo. 

Você se torna mãe, nasce uma vida, você (geralmente, normalmente) renasce e apartir daquele momento você se torna inteiramente responsável pela vida e o existir de alguém. Responsavel por exatamente tudo, pela alimentação, sono, tristeza, felicidade, necessidades, desenvolvimento, dor, conquistas, no começo 100% é tudo com vocês (pai e mãe), ao passar do tempo essa porcentagem vai caindo, sempre existindo um mínimo de porcentagem da opinião dos pais, na vida dos filhos.

Eu sou mãe, sou uma típica mãe de vida real e de redes sociais com prazer, adoro compartilhar um pouco do desenvolvimento do meu filho com amigos e parentes, também choro de madrugada porque não aguento mais amamentar ou passo noites em claro porque o Raphael está com tosse ou com febre. Isso me faz pensar de onde tiramos motivação para conseguir enfrentar tanta coisa que os pais enfrentam, especialmente nos primeiros dias de uma nova vida, e a resposta é amor!

Isso me deixou com uma pulga atrás da orelha e um tanto triste. Eu conheço de perto, bem de pertinho, diversos pais de redes sociais e a duvida que fica é, ''o que vocês sentem pelos seus filhos?'' Porque se responderem amor, eu direi que há algo de errado, muito errado nesse amor de vocês.

18 de julho de 2016

Nossos primeiros e marcantes 12 meses de amor ♥


Tudo que se pode ler
Como uma boa mãe coruja, palhaça, amorosa, presente, brincalhona e escritora, lá estava eu, anotando em eternos rascunhos, post its, cadernos, agendas, folhas soltas, pedaços de papel velhos, onde fosse, toda e qualquer simples lembrança do Raphael.

Para uma mulher, ter um filho é uma mudança extrema de vida, na verdade, é um novo nascer, você não sente, mas em nove meses gerando uma vida, você está gerando a sua alma também.

Eu sou sentimental, não no sentido de chorar por tudo, apesar de ter me tornado emotiva depois de ter gerado o Raphael, mas eu digo, no sentido se sentimento mesmo, de alma, de emoção. Nada se compara aos dias de inverno quando juntamos a família para rever fotos antigas, cartinhas de amor, anotações de momentos, relembrar coisas boas e até aquelas ruins que foram superadas. Isso me renova.

É por isso que eu me vejo sempre cheia de agendas e canetas, tem mulheres que não despensam uma base e um lápis de olhos na bolsa, eu, por minha vez, não saio sem uma caneta e uma agenda. Desde que o Raphael nasceu, eu planejava escrever os desenvolvimentos dele em seu ''caderno de lembranças'', meu filho fez um ano dia 1 de julho e eu ainda estou tentando acabar de escrever sobre o dia do parto.

Entretanto, em tudo quanto é lugar tem um pedaço de papel com um rabisco sobre esses tão intensos e apaixonantes 12 meses de vida. Um ciclo completo de amor e muita recordação que bate no fundo do coração. Na festa de um ano dele eu quis dividir com meus convidados tudo isso, então, fiz essas pequenas e breves 'artes' com algumas coisas que julguei as principais.

Não seria eu, se não divulgasse com vocês meus pequenos toques de amor que fazem tão parte de mim e da minha persnalidade. Cada vez que leio essas coisas, me sinto querida, abraçada e amada, meu filho é o melhor presente que Deus poderia ter dado a nossa família!

#Raphaelem1aniversário #Raphafaz1 #Por12mesesdeamor 

8 de julho de 2016

Raphael em, primeiro aniversário ♥

Rá-Tim-Búm, #RaphaFaz1

Tudo que se pode ler

Falar sobre festas de aniversário para muitas pessoas é um assunto não muito interessante, ainda mais quando se trata da primeira festa, muita gente concorda de que o primeiro ano não se deve ter festa, pois é um gasto enorme desnecessário. Mas para mães loucas, corujas, animadas e festeiras, essa é uma das principais datas da vida, essa, sou eu.

Quando o Raphael tinha ainda alguns poucos meses de vida, ele recebeu a visita da tia Suzete, que trouxe dois carrinhos de madeira á ele como presente e eu amei enlouquecidamente. Naquele momento escolhi o tema da festa de um ano, ‘Brinquedos Vintage – Revivendo a infância’, contei nesse post um pouco da escolha – Post Completo

Após aquele dia eu não parava de sonhar com a festa do meu filho, a sua primeira festa. Eu sempre tive problemas com aniversários e festas de aniversário, cheguei a passar anos sem comemorar (sendo eu, uma pessoa super comemorativa),  por conta disso, estava agoniada para que não desse absolutamente nada errado com a primeira festa do meu filho, que literalmente seria a realização de um grande sonho.

Foram curtos e corridos quase 10 meses planejando cada detalhe, com muito amor. Uma das coisas mais gostosas depois da festa, foi receber tantos elogios e em todos eles ter um comentário em comum, ''Viviane, não esperávamos menos de você, tudo lindo e maravilhoso, dava para ver amor em todos os lados e detalhes da festa''.

A festa do Raphael foi sem duvidas a realização de um grande sonho, eu reuni toda  família, da minha parte e da parte do André, que também é minha, mais aqueles amigos mais chegados e vou contar a vocês, nós aproveitamos muito! Eu faria tudo de novo ♥

Esse post demorou a sair porque sem dúvidas seria enorme (além disso estava aguardando algumas fotos oficiais), como já imaginava, ele ficou gigantesco, o maior que já fiz, então, aqui está a escolha, clique em 'Continuar Lendo' abaixo, e embarque comigo nas aventuras de preparação, festa e pós festa, ou escolha o que quer ler -abaixo, e vem comigo.

6 de julho de 2016

A estagiária saudável.

Está para existir uma frase mais verdadeira e mais duvidosa que essa, ''homem é tudo igual''. Eles olham outras mulheres mesmo, eles falam de outras mulheres entre eles, eles não tem respeito nenhum pelas suas mulheres. Sim, essas questões entram no meu bloco de ''pode ser'', mas só esquecemos de citar é que, nós somos mulheres!

Ai entra aqueles diversos assuntos que discutimos diariamente na internet, ''mulher tem que se cobrir'', ''o homem é machista'', ''eu sou mulher da rua, gosto de ser vista'', sem falar as questões de relacionamentos, ''ele é casado tem que respeitar a esposa'' e por ai vai. Bom os homens podem até não ser todos iguais, mas uma coisa é certa, eles não conseguem disfarçar quando acham outra mulher bonita.

E os coitados também esquecem que da mesma maneira que eles quebram o pescoço para ver um par de peitos ou um bumbum empinado, do outro lado, outro homem se enverga para olhar para sua mulher. É, os homens são realmente uns safados! Mas, as mulheres tem sua dose de psicopatia, dose dupla até, eu mesma, sou mestre nisso!

Certa vez o André conseguiu um estágio novo, esse meu marido é o rei dos estágios, se existir um prêmio no guinness book por jovem com maior número de estágios trabalhados, podem indicar ele, é vitória certa.

Passei o dia empolgada com uma nova experiência dele e ansiosa para ele chegar logo em casa e me contar como havia saído seu primeiro dia em um novo emprego e uma nova área. Ele tinha saído de casa bem preparado eu estava sem duvidas esperando ele chegar contando varias coisas novas sobre o que aprendeu na canoagem.

Aquele dia passou se arrastando. A noite o André chegou bastante cansado em casa, mas ele entende que sou tagarela e curiosa, não esperei nem o 'coitadinho' tomar banho, comer ou sentar. Voei no pescoço dele, taquei um beijo demorado para mostrar tamanha saudade que senti e comecei a perguntar sem parar.

Ele com um sembrante empolgado mesmo  estando cansado, contou sobre como era o dia de trabalho detalhadamente, até mesmo sobre as pedras que tinham no chão e como ele tinha que arrastar canoas de um lado para o outro, contou sobre o lugar e ate da temperatura do dia, sem esquecer de falar dos alunos e seus jeitos. O problema foi quando ele resolveu contar sobre sua nova equipe de trabalho.

A equipe de trabalho se torna uma família, são pessoas que você convive, dia-a-dia durante mais de 4 horas por dia, é inevitável você fazer amizade e criar intimidade entre eles, é um dos assuntos mais importantes sobre um dia de trabalho novo. O André começou a contar sobre um, dois, três caras que conviveriam com ele, ainda detalhadamente. Até que, em um momento, falando rapidamente, se referindo a algo insignificante do dia, citou uma estagiária. Homem é realmente burro!

Toda mulher já nasce com um teor básico de psicopatia x ciúme e apartir daquela citação eu só conseguia ouvir ''blablablá, uma estagiária, blablablá, é mulher, blablablá, não é homem''! E é claro que eu quis saber.

- Nossa amor, que legal o trabalho novo, bem diferente do outro né? Mas me conta mais, como é essa tal estagiária? 
- Como assim como é amor? É normal. É meio desligada, rir de tudo ...

É claro que ele sabia que eu não queria saber issó, mas só a cara de 'socorro' e os olhos esbugalhados quando fiz a pergunta, já responderam o bastante para minha curiosidade aumentar. ''Não amor, eu perguntei, co-mo e-la é''! Eu disse lá em cima, que homem é burro, mas mulher fazer esse tipo de pergunta parece muito mais burrice. A resposta dele vai ser mentira do que ele pensa e você vai fingir que acredita, imaginando que ele ache ela muito mais do que ele realmente acha, mas, a pergunta foi feita mesmo assim.

Balbuciando mais que gago contando piada, meu marido me responde que a bendita estagiária era loira e tinha um corpo saudável. Saudável? O que quer dizer corpo saudável gente? Já havia 20 minutos que a conversa não era mais estágio e sim estagiária, o André já estava com os olhos fixos no futebol que ele mesmo pôs na tv e a todo momento desviava o assunto.

''Loira e corpo saudável? Como assim? Malhada? Gostosa? De academia? Ou só saudável?

Uma vez, vi em um programa de tv uma brincadeira bem intrigante entre casais, em que o apresentador vendava os olhos do marido e falava nome de mulheres para que ele desse uma única palavra sobre a mesma. E enquanto eu estava questionando os inúmeros tipos de significados para a palavra saudável da estagiária (que no momento já era, a sua coleguinha de trabalho), o André me solta um desesperador, totalmente sem querer: gostosa. Gos-to-sa! 



Isso mesmo, era exatamente essa definição que ele não queria me contar, com certeza, mas era o que estava no sub-coinciente dele, ele deve ter vindo para casa pensando em uma palavra para descreve-la, encontrou. Achei 'saudável' uma boa resposta, meu marido só não esperava que eu fosse questionar a definição de saudável, para a bendita garota.

Eu poderia começar a 3º guerra mundial aquela noite. ''O que foi que você disse amor?'' Eu acho que até senti vontade de mata-lo, mas foi tudo tão rápido e quando eu encarei o filho da mãe ele já estava rosado rindo horrores da minha cara de surpresa e dizia que fazia tempo que eu nãos sentia esse ciume bobo dele. Eu comecei a rir também, homens são realmente muito burros.

Mulheres também acham homens gostosos, a diferença é que vocês não acreditam nisso. A noite terminou em muitas risadas, abraços, beijos e fofices a mais, mas na real? Aquele gostosa ainda ta aqui, nessa história.

5 de julho de 2016

A borralheira com um coque preguiçoso e unhas mal feitas.

A exatamente quarenta e poucos dias para meu filho comemorar seu primeiro ano de vida, eu só consigo pensar nele, fala deler, viver pra ele, imaginar ele, amar ele e qualquer coisa da vida, desde que tenha ele. Sou mãe de primeira viagem e ainda estou com as pernas bambas, vivendo um mar de novidades, sem saber se estou realmente fazendo tudo certo.

É por esse motivo que últimamente só tenho conseguido escrever do Raphael. Os rascunhos do meu blog não me deixam mentir. Cuidar da minha vida, da minha casa e do meu marido, tem ficado em segundo plano, já que o Raphael ocupa o primeiro lugar sempre, eu também disse que jamais faria isso, mas a verdade é que a rotina cansa absurdamente.

Estou a dois parágrafos em um infitino blablablá, que renderia uma postagem completa, mas a questão é: vaidade, feminismo, machismo, puerpério infinito, tpm, ou .. o que era mesmo que eu estava falando?

Andei reparando em um reflexo meu no espelho que minhas unhas estavam com o mesmo esmalte a uma semana. Mentira, muito mais que isso. Tinha quase um mês que aquele esmalte roxo não saía das minhas unhas. Ouve um lado bom nisso. Com certeza me veio a voz da minha ex professora de história, que dizia, 'tudo tem seu bônus e seu ônus'.

Eu notei que agora eu realmente era uma dona de casa, me senti uma boa dona de casa, até. Antes meus esmaltes duravam mais de 3 semanas intactos e veja só, aquele não só estava em mim a mais de duas semanas, como não havia durado nem dois dias para começar a descascar. Meu estado estava realmente precário.

Encarei meu filho e meu marido dormindo e fiquei tentando culpa-los pela falta de atenção comigo mesma, mas não consegui. Então comecei a procurar mil e uma respostas para meu cabelo estar com um coque preguiçoso, minhas unhas naquele estado e no meu armario milhões de roupas caindo pelas portas de tão amarrotadas e fora do lugar.

Foi dentro dessa linha infinita de pensamento que o André acordou e do mesmo jeito que eu mesma ainda me encarava, ele fez. Depois de um tempo me estudando dos pés a cabeça, ele me chamou e respondeu exatamente o que eu me perguntava, mesmo sem fazer ideia do que se passava na minha cabeça.

Escutar ele dizer o quanto ele estava me achando bonita e sexy naquele (pior) momento meu, foi o que bastou para sair um sorriso do meu rosto com um ar de satisfação. Saber que meu parceiro me ama em todo momento, foi gostoso.

Mas é aquele papo de machismo e feminismo que deveria ter rolado no post, mas na verdade não rolou, e velho ditado que você tem que se amar em primeiro lugar? Sacudi o pó. Cá estou eu com as unhas belas, cabelos sedosos, sobrancelhas impecáveis (ou quse) e me amando. Não é porque ele me ama até mesmo borralheira que eu não sinta necessidade de virar princesa correto?

Tem razão quem acha que eu devo estar bonita ao ponto de agradar meu 'marido' sempre, mas está tranbordando de razão quem acha que eu devo estar bonita para mim, antes de tudo. É nessa beleza unicamente para mim, que ele verá uma bela mulher.

Quero deixar claro também, que é ele quem me ensina esse tipo de coisa. Todo dia de manhã, ao me achar inteiramente gata, mesmo descabelada, com sono e desajeitada e ainda assim, enxergar uma bela mulher.

1 de julho de 2016

Rá-Tim-Búm #RaphaFaz1 - Revivendo a infância com o Raphael.

Chegou o grande dia Viviane, acorda que hoje você tem uma festa!


Uma nova e estranha sensação de ''hoje é um grande dia'', na manhã da festa eu estava me sentindo empolgada, acelerada, alto astral e totalmente perdida. As mães ficam eletricas, olham tudo e não enxergam nada, conferem tudo e não aprovam nada, estão por dentro de tudo e não estão por dentro de absolutamente nada. 

Antes de começar eu queria deixar um agradecimento especial a algumas pessoas, já disse que detesto citar nomes, porque não existe mais ou menos importante, mas eu tenho, necessito, preciso, citar dois nomes, Dinda Liliane, que aguentou com uma paciência de outras vidas todo meue stresse e fez com que desse tudo, absolutamente tudo certo. Também a minha sogrona, vovó Ana, que por trás das cameras, deu vida a todo o sonho, segurando tudo nas beradas e mantendo tudo, tudinho em pé, firme e lindo, em todos os momentos, minutos e segundos, até o fim

A verdade é que se eu for citar nomes, preciso ir lá no começo da história e buscar aqueles que estavam sempre me ajudando nem que fosse com um pedido de ''se precisar de ajuda, to aqui'' Para a festa do Raphael todo mundo se movel, participou, empolgou desde o inicio até os ultimos minutos no dia na correria quando uns surgiram feito anjos e outros eu gritei em pensamentos e apareceram ♥ todos fizeram questão de participar, não dá para citar, meus amigos são excelentes, poucos mas os melhores!

As 17hrs eu cheguei na festa e pensei: Uaaaau!! O que é isso? é tudo meu? Com certeza eu pensei em cada detalhe que tive ajuda, em cada sufoco, em cada momento mega gostoso preparando tudo, em todas as vezes que enchi a Waleska, a Thays, a Samy, a Déboba, a Cecilia, a Liliane, a Tia Ana, a Elenilda, o André e todos meus amigos. Eu estava completamente apaixonada!



Eu diria que aquela manhã e tarde foram bastante agitadas, não tivemos estresse, mas a gitação deixou um cansaço visível durante a festa. Foi arrumar salão, receber buffes, pagar as pessoas, arrumar últimos detalhes e fazer o apaixonante mural de fotos e registros de desenvolvimentos do nosso Phael.

Eu sou uma mãezona que gosta de detalhes, que escreve, que faz graça, que filma, ama fotos, anota tudo, brinca de carrinhos, ensina a fazer careta e registra tudo, não poderia ser diferente o resultado final da festa de um ano do Raphael.

Waleska Ferraz, Decoração - Eu não teria palavras para agradecer ao trabalho dessa mulher, nós somos a prova de que nem toda primeira impressão é a que fica, ela chegou até antes da hora que marcou e em pouco tempo transformou um ambiente um tanto quanto feio, em uma linda, detalhada e apaixonante decoração.


A Waleska pensou em exatamente tudo! Eu preciso dizer a vocês que na verdade, eu ganhei a decoração da festa do Raphael, porque por falta de organização eu não teria mesmo, dinheiro, para pagar o valor que minha decoradora merecia pelo seu trabalho. Não só pela decoração, mas também por ter ficado na festa, como convidada, que mais trabalhou do que curtiu. Quando chegou ficou para lá e para cá se virando nos trinta. Ainda teve que ''acabar'' de dar um jeito na mesa, depois que os convidados chegaram, pois o buffet atrasou com os doces que estariam na mesa principal.

A todo momento a Waleska estavama me ajudando, me dando dicas, me distraindo e socorrendo. No final das contas meu pagamento foi uma bexiga de farinha de trigo estourada em cima dela, como eu queria ter visto essa cena (risos). A Waleska é alto astral e vive o sonho da realização da festa juntinho com a família, seu trabalho é sofisticado e bem feito, para definir ela eu diria: ''Se pegar um trabalho para fazer, faça bem feito! O pagamento é a gratidão, superação e satisfação!'' Dos meus gastos com a festa, esse, sem duvidas, foi o melhor investido, eu ganhei uma amiga gente.

Buffet, Thay Lopez - A Thays é muito simpática, comunicativa, e nova. Até agora não acredito que tudo da prova que eu fiz na casa dela, foi ela mesma que fez, também quero deixar uma ressalta para o bolo fake do tema, que ela escolheu, que eu simplesmente me apaixonei e seus doces da mesa principal também estavam lindos e no tema, mesmo com o triste atraso, deixou minha mesa ainda mais linda.

Mas, nem tudo foram flores lindas com nosso negocio, um dia antes da minha festa a Thays teve um mega imorevisto, quero deixar claro meu triste alerta para terem muito cuidado no Centro da cidade, pois as pessoas de má fé estão fazendo a festa, roubando tudo a todo momento. Foi em uma dessas que a responsável do meu buffet perdeu um dia antes do evento a única maneira de contato com todos os seus fornecedores, eu não faço ideia de como ela conseguiu se virar para fazer acontecer.

Mas mesmo com o atraso no dia, com uma normal agitação e esquecimento de alguns cruciais itens do buffet, deu tudo certo, todos comeram e beberam bem,  o brigadeiro, até agora ninguém sabe do que era, mas o bolo deixou água na boca e muitos bons comentários, eu mesma não comi absolutamente nada na festa, mas ela separou um pouco (muito) de tudo que serviram e eu me fartei de sobras de festa uma semana inteira.



Animação e Brinquedos, Débora Ribeiro - To até agora aplaudindo de pé! Sobre um dinheiro bem investido em festa infantil, é com brinquedos e animação. E vou contar a vocês, a Débora é totalmente ligada no 220v galera, ela não para, a equipe dela também não. Vocês acreditam que ela chegou lá somente para fazer animação e monitorar brinquedos e  quando dei por mim lá estava ela e sua equipe ajudando a fazer saquinhos de doces e dar lembrancinhas. Uma empolgação e envolvimento total!

Chegaram na hora combinada e antes do horario de inicio da festa ja estava tudo certinho, valendo lembrar que eu contratei um brinquedo inflável que não deu para ser usado por conta do lugar da festa e na mesma hora ela ja tinha uma segunda opção, as crianças não ficaram sem brinquedo inflável e eu não saí no prejuízo. Excelente profissionalismo.

A festa em sí, foi bastante cansativa, eu olhava para todos os lados e via todos meus famíliares e amigos mais chegados, se divertindo, pulando, brincando, dançando, rindo, tirando fotos, conversando, exatamente do jeitinho que eu sonhei. O Raphael aguentou a festa praticamente toda, teve seus momentos de ''não quero tirar foto'', seus choros, suas manhas, mas aproveitou.

Nós aproveitamos, todos nós. A festa foi literalmente um sonho realizado, toda hora eu me via olhando tudo dentro do salão, olhando lá fora, vendo todos felizes e pensando, era exatamente isso que estava na minha cabeça.

Climax da festa? Com certeza o parabéns. Quando todos se juntaram dentro do salão para fazer aquele coro foi que eu percebi o quanto a festa estava lotada! O Raphael ficou enlouquecido com o parabéns, ria, batia palmas, me olhava, olhava para todos, mamãe e papai emocionados, que sensação boa. Chuva de benção para nossa família e na hora de apagar a velinha, uma pequena oração para o principal responsável por tudo que estava acontecendo, Deus.


De todos os comentários da festa o mais repetido foi: ''Nossa, não esperávamos menos de vocês, em todos os detalhes da festa dava para ver amor!'' No dia seguinte muitas mamães e papais mandando mensagem contando que os filhos não paravam de falar da festa e de brincar com os kits lembrancinhas. 

Uma pequena obs: os adultos choraram para ganhar peões, tenho que contar, depois do parabéns todos estavam brincando de ioio, bolinha de gude, pião e bambole, entre todas as idades heim. É como eu sempre falo, quanto menos você tenta mostrar ou aparecer, mais real, verdadeiro e gostoso fica. Eu estou extremamente satisfeita, feliz e grata a todos os envolvidos nesse dia tão especial para minha família.

Sobre o pós festa, muito cansaço, muita comida gostosa, um culto maravilhoso de agradecimento a Deus e muitos, muitos, muitos presentes para abrir, sério, achei que nunca fosse acabar, eu amei todos os presentes, todos, não dá para escolher um, todos são lindos demais. O Raphael amou todos os brinquedos, passa o dia todo brincando demais, foi depois da festa que descobrimos que ele já sabe e gosta de brincar com carrinhos.

Como só tem uma semana da festa, eu ainda não tenho todas as fotos oficiais para mostrar à vocês, mas aqui estão algumas, para deixar gostinho de quero ver mais, assim que eu tiver posto todas! Observação, algumas dessas fotos são de celular.

Obrigada de coração a todos que Deus moveu para ajudar nessa festa, a todos os profissionais que deram show e a todos os convidados que curtiram juntinho com a gente, em nome da nossa família, até ano que vem ♥


30 de junho de 2016

Chalkboard para todo tipo de evento ♥

Interessados, me consultar em qualquer rede social.


Nosso trabalho é feito com amor e dedicação, pensando em cada detalhe e registros especiais do aniversáriante ou do seu produto. Com um diferencial do verdadeiro chalkboard trazendo a impressão de dados em um antigo quadro negro. Com um acabamento em perfeito estado e impressão de otima resolução.

Twitter @zihmagalhaes
Instagran @zihmagalhaes
Google+ @zimagalhaes
Email viviane_magalhaes.06@hotmail.com
#artezih

Antes da Festa - Raphael em primeiro aniversário.

‘’Corre daqui, se desespera de lá, vai chegar o dia e eu não sei nem por onde começar!’’ 

Chalkboard Raphael @artezih
Arte em andamento
Essa era a sensação que eu tinha, mesmo o mundo inteiro me oferecendo ajuda, não gosto de citar nomes, pois sempre acabo esquecendo alguém, não por menos importância, mas a cabeça falha mesmo. Meus dias eram resumidos a ver grupos de festas e fazer milhares de bilhares de orçamentos. Isso é uma loucura.

Waleska Ferraz, decoração - Tema escolhido, e agora? Quem irá realizar esse tema? No principio o tema ‘brinquedos’ não era tão fácil assim de encontrar decorações já feitas, essa foi minha primeira luta. Até que encontrei a Waleska Ferraz. A primeira decoração que vi dela, foi da branca de neve e quando vi, a primeira coisa que pensei foi ‘’UAU! Essa mulher deve cobrar muito, muito caro!’’. Então, fui tirar a duvida e fiz orçamento. 

Um dos pontos positivos que já me conquistou na Waleska, que minutos depois da mensagem que mandei, ela já me respondeu, com um detalhado orçamento, em cima do que eu queria, mais ideias sobre o tema e mostrando interesse. Extremamente profissional.

Eu me tornei uma mãe louca, desesperada, esqueci totalmente que as outras pessoas (principalmente profissionais) tinham outras festas para fazer além da minha, acho absolutamente normal as mães ficarem assim nesse momento. Porém, hoje olhando para trás, me vejo um tanto quanto ‘’chata’’, nunca tinha feito festa deixando tudo nas mãos de outra pessoa, ainda mais um desconhecido, eu tinha necessidade de estar por dentro de exatamente tudo, era necessário ter meu toque em cada detalhe, eu precisava de segurança e de alguém que entendesse o que eu queria realizar no grande dia.

De repente a Waleska veio com uma conversa de que mesmo após eu ter pago o sinal a ela, se eu quisesse desfazer negocio com ela, poderia me sentir à-vontade, pois ela devolveria meu dinheiro. Eu gelei, fiquei louca, desesperada, eu envolvi quase o mundo inteiro (Liliane, André e Vanessa), para conseguir escolher uma decoradora e ela me vem e diz para eu ficar livre para desfazer negocio? Naquela altura do campeonato eu não conseguia entender que ela estava tentando me dar segurança e me deixar a-vontade, ‘’Pronto, a mulher não quer mais fazer minha decoração, está com má vontade!’’ 

Mas eu ja tinha decidido que seria ela e vou contar uma coisa para vocês, quando eu escolho uma coisa, vai ser o que eu escolhi e pronto! Lá fui eu, arrastando Liliane e o André até madureira. A Waleska nos recebeu super bem na casa dela, me mostrou parte do seu material de trabalho, saímos de lá bem satisfeitos e tinhamos decidido tudo, então eu resolvi fazer um desenho esboço de como seria a decoração, já pensando naquela engraçada montagem de expectativa x realidade. 


Antes da festa, eu ficava igual uma tarada vendo todas as decorações da Waleska, toda vez que ela colocava uma foto nova, eu olhava profundamente cada detalhe e ficava imaginando como seria a minha, todo dia conversava com ela no whatsApp, queria saber tudo que ela estava produzindo nas festas dela e todo dia perguntava quais eram os proximos temas. Valendo citar que essa louca quase me matou na última semana da festa me mandando fotos maravilhosas dos preparativos!


Thays Lopez, Buffet, comida e bebida - Tive uma triste experiência no meu chá de bebê com comes e bebes, quem esteve presente lembra, então eu estava realmente preocupadíssima com isso para a festa. Nada podia dar errado, nada! Fiz poucos orçamentos de buffets, muitos eram junto com decoração e eu ja havia decidido sobre isso, precisava de alguém apenas para comida e bebida e alguém de confiança. 

Buffet de festa é algo muito delicado e importante, eu não fazia ideia disso e confeso que morria (ainda morro) de preguiça de me responsabilizar por isso, mesmo sendo algo crucial de um evento. Quando a Lorrane me indicou entre uns 15 a Thays Lopez, eu realmente fui pelo custo $, que no orçamento inicial era o mais barato.

A minha primeira impressão da Thays, era que ela era doidinha. Me encheu de informações sobre o buffet dela e me mandou diversos audios me chamando de amiga. Eu olhava para a foto dela e só pensava, ''essa menina deve ter 15 anos, onde eu fui me meter''. Mas de alguma forma, ela me passava total segurança, era como se eu pudesse fechar os olhos e relaxar que todos iam se fartar no grande dia. 

Umas 3 semanas antes da festa eu fiz a prova dos doces e salgados, fomos até Olaria, na casa da Thays, que nos recebeu super bem, não havíamos pago nem o sinal ainda e ela ja estava reservando seu tempo e trabalho inteiramente para nossa festa, tendo certeza da importancia para mim e dos meus gostos, sempre me dando segurança.

No dia da prova eu fui nas nuvens, o bolo que comi era completamente ma-ra-vi-lho-so, os docinhos então, nem se fala. Uns dias antes ela havia me mandado a foto do bolo fake que seria o meu sonhado bolo, eu estava totalmente apaixonada por tudo, segura de que tudo estava no caminho certo.
Até um enorme imprevisto na sexta feira um dia antes da festa (o dia do aniversário do meu filho), acontecer.

Vou confessar a vocês que eu bem que gosto desses imprevistos de última hora, dão uma tensão e emoção, mas desde que nada atrapalhe o meu cronograma inicial, o problema é que atrapalhou, eu diria até que muito. Na sexta feira eu queria fazer um ''bolinho'' para cantar parabéns no dia do aniversário mesmo. Achei justo comprar com ela, já que ela mesmo faria tudo no dia da festa e eu havia amado. 

Infelizmente nossos problemas começaram ainda na sexta, quando combinamos as 17horas e o rapaz do frete desmarcou com ela, fazendo com que ela chegasse só as 19horas com o kit festa. Como se não bastasse, a coitada da Thays havia sido assaltada, no caminho. Pronto, era o bastante para qualquer outra ''mãe, pré festa'' se desesperar e infartar, mas não eu. 

Eu sabia que daria tudo certo e naquele momento os papéis se inverteram, eu comecei a acalmar a Thays, dando apoio e insentivo, me sentindo totalmente culpada pelo ocorrido. No fundo eu sabia que isso me traria problemas futuros (no dia da festa), mas eu preferia não pensar nisso aquela altura do campeonato. 

• Brinquedos e Animação, Débora Ribeiro - Ô dinheiro bem investido minha gente. A Débora juntou um tudão do que eu procurava, essa mulher tem tudo, é tipo aladim, você pediu e ela realiza. Fechei um pacotão com ela e não tive preocupação com animação, Dj, brinquedos, monitores e ainda ganhei algodão doce. Preciso citar que estava liuca pelo algodão doce e não comi nem unzinho para contar a história, joga uma música triste ai no fundo dj. 

Na semana da festa a Debora me ligou me injetando uma dose tripla de animação e empolgação, como se fosse necessário mais. Vale citar também que eles levam brindes para as brincadeiras, é um atrativão gente, ela faz os kites, todos bem feitos, fiquei de bobeira com a pontualidade e responsabilidade dela.


• Lembrancinhas, miudezas, detalhes - É claro que uma festa feita por mim, poderia ser onde fosse, com os profissionais que fossem, teria algo feito por mim, algo sentimental, algo registrado, algo marcado. Afinal de contas, essa é a minha festa. Eu ja estava planejando tudo a muito tempo, mas colocamos a mão na massa mesmo um mês antes da festa. 
Foi um intenso mês de muita concentração, muito trabalho, muito detalhe e muito corte e colagem, minha família não me deixa mentir.

Vovó Ana transformou a sala dela em uma fábrica de lembrancinhas, e todos os finais de semana anteriores ao grande dia foram de dedicação total a festa. André, vovó, liliane e eu estavámos literalmente com a mão na massa a todo vapor.


Fotografia, Cecilia Fonseca e Samy Barbosa - Antes de pensar em qualquer pessoa eu já havia escolhido a Cecilia Fonseca, ela me conquistou com o trabalho do meu book gestacional. Planejamos um ensaio com o Raphael antes da festa, o famoso smart the cake, que eu estou apaixonada até agora com as fotos, ENSAIO COMPLETO AQUI. Com a Cecilia eu não esperava imprevistos, como não tive.

Ainda sobre a cobertura fotográfica da festa, eu fui presenteada (muito bem presenteada) por um casal de amigos, Jefferson e Samy. a Samy entrou na área da fotografia agora e me presenteou com um ensaio (que ainda vamos fazer) e também a cobertura das fotos da festa.

Alguma duvida de que teria os melhores registros do meu tão sonhado grande dia? Não, mesmo!

• Cabelo e Maquiagem, Elenilda Teixeira - Mamãe Cinderela, quem me conhece sabe o quanto eu sou fã do basicão e da praticidade, apesar de amar maquiagem e não viver sem baton. Mas no dia da festa do Raphael eu senti a necessidade de estar me sentindo totalmente linda e apaixonada por mim.

Geralmente quando o aniversariante é menino, o pai e o filho vão iguais e a mamãe vai de mamãe, para na hora do parabéns fazer uma troca de roupa ou adereços que seja do tema. Mas, eu sou um tanto quanto implicante quando se trata do que ''geralmente todo mundo faz'', se eu fosse um personagem da turma da mônica, provavelmente seria o DC - Do Contra.

Então, resolvi que todos nós deveriamos estar iguais, primeiro escolhi a roupa do Raphael e depois dei um jeito para André e eu estarmos iguais, mas dentro dos nossos gostos. Modestia parte, eu escolhi muito bem, pois estou até agora amando nosso ''look fofo e lindo para o primeiro aniversário do nosso Phael''.

Todo mundo esperava me ver de cabelos castanhos naturais e raspado na lateral, que era a ideia inicial sim, pois eu queria algo marcante e diferente, para um dia especial e marcante. Pensando bem, eu estava a dez meses com esse corte raspado na lateral e se queria algo novo, teria que mudar de ideia. Foi ai, que corri para a Elenilda Teixeira - Maquiadora e cabelereira. Dois dias antes da festa fui ao Espaço dela e sai de lá apaixonadíssima por mim, eu estava loira! Fazia anos que eu não me via loira e tinha maior medo de embarcar nessa de novo, mas no final eu estava totalmente me amando.

Eu poderia puxar o maior saco da Elenilda, mas vocês diriam que fiz isso porque ela é da minha família, então vou deixar um link com os trabalhos dela e com o trabalho que ela fez em mim, para não restar dúvidas do bom trabalho. Trabalhos, Elenilda Teixeira.


Última semana antes da festa tudo estava ok, tudo estava pronto, agora era só esperar e curtir o dia. Isso se eu sobrevivesse, pois da última semana para a festa a minha decoradora resolveu me matar de ansiedade e amor, todos os dias me mandava mensagem e ficavámos até tarde conversando sobre a decoração da festa, eu estava morrendo com as imagens lindas que ela estava me mandando, não via a hora da festa chegar.

Meus dias passaram a ser anos e eu não conseguia mais dormir, de verdade, até que o grande dia chegou ♥

27 de junho de 2016

Porque mandar recado, quando eu posso pedir diretamente a Deus?

Presto atenção em muitas pessoas ao meu redor, nas distantes também, mas as que estão ao meu redor com certeza me chamam mais atenção. Cada pessoa tem uma propria essencia, um cheiro, um gosto, preferencias, jeitos, opiniões, culturas, costumes, habitos... O ser humano é bem complexo, diferente, teimoso.

Eu acho tão intrigante e desafiador observar pessoas. Eu amo conhecer pessoas, mas quanto mais conheço, mais me surpreendo, mais me questiono, dai me vejo meio confusa. É como querer questionar e entender o que tem além do céu, além das estrelas, além das galaxias, o que vem depois da morte, de onde viemos.

Uma vez me peguei discutindo comigo mesma. Era dia de ''São Jorge'' na minha cidade, parece que o mundo para nesse dia, quase que como no carnaval. Quem sou eu para julgar, não me entendam mal, mas eu fico indignada querendo entender porque cargas d'agua vocês glorificam tanto um 'santo' e não adoram um terço a um Deus tão vivo, tão real e tão magnifico como o nosso único Deus.

Então comecei a discutir comigo mesma, pois covenhamos, nenhum de ''vocês'' vem me questionar o porque de não acreditar em santos e de repente me sinto errada em ficar irritada com as festas dos santos. Então, brigando comigo mesma, cheguei a uma conclusão. Não que me irrite as festas comemorativas de Santo, o que me entristece é como para festejar e adorar as pessoas dão a vida para fazer e quando se veem em um momento complicado correm para Deus, é um tal de ''me ajuda''.

Por trás da história toda, a maiora das pessoas conhecem, confiam e acreditam em Deus, então porque é que a maioria não o respeita? É isso que me pergunto. Eu também já fiz todas essas coisas, o que me faz achar que conheço um pouco do assunto, então uma vez me fizeram uma pergunta que eu fiquei sem palavras e é com essa pergunta que eu finalizo essa postagem

''Se você acredita em Deus e sabe do tamanho da Grandiozidade Dele e do poder Dele, porque é que pede, ama e adora a santos e ''outros deuses'', podendo pedir diretamente a Ele?''

13 de junho de 2016

O primeiro corte de cabelo, os pais nunca esquecem.


Quando o Raphael tinha cinco meses de idade ele perdeu todos os seus lindos e lisos fios castanhos claros da cabeça e ficou todo carequinha. Por volta dos 6/7 meses ele estava todo coberto de cachinhos bem enroladinhos. O tempo foi passando, o cabelo crescendo e eu não fazia ideia de como cortar. Enquanto isso o papai André, já tinha escolhido o corte e até a barbearia. 

Tem coisas que são realmente "assunto de homem" né verdade? Mas, quando se trata de filho, principalmente o primeiro, não há detalhe que a mãe não esteja presente. Principalmente uma "primeira vez". Toda primeira vez é algo marcante e especial, tem mesmo que ser planejado e bem feito.

Então, esse sábado, 19 dias para o Raphael fazer um ano de vida, demos de presente para ele, seu primeiro corte de cabelo. Foi uma aventura especial e satisfatória, que deixou a mamãe aqui, bastante empolgada, já escolhendo o segundo corte.

1º Corte: Undercut
Barbearia: @thankful_oficial
Barbeiro: Carlos Mafra @carlos.mafra

Assim que chegamos no shopping Blue Center fomos informados que estava sem luz desde manhã. Fiquei frustrada, havia planejado aquele corte há um tempão. Sem contar a necessidade de aparar os cachinhos do Raphael para fazer o ensaio fotográfico. Eu não estava conformada que algo havia dado errado no planejamento, além disso, já que estávamos lá, resolvemos entrar para conhecer. SURPRESA! A equipe da #Thankful estava trabalhando normalmente.

André, Raphael e eu, fomos bem recebidos logo quando chegamos pelo próprio dono da barbearia @dodo_medeiros. Eu particularmente, acho isso incrível. Eramos os próximos e enquanto aguardávamos nossa vez, fomos conhecer as roupas da linha #Thankful. A loja ThanKful Gentlemen's é um ambiente de três andares, sendo o primeiro barbearia, o térreo estúdio de tatuagem e o segundo a loja propriamente dita, com venda das roupas e acessórios da marca. Confesso que a mistura do rústico com uma moda urbana masculina me deixou louca!

Chegou a nossa vez e eu até me atrevi a fazer um vídeo e postar no snap (@zihmagalhaes). Achei que o Raphael fosse voar naquela penteadeira mega linda e simplesmente zunir todos os milhares de utensílios no chão. Mas para minha alegria, ele se sentou feito hominho no colo do André e ficou literalmente quieto e parado, aproximadamente uns 2 minutos (ou menos), até ele começar a dar seu show particular. Oscar no quesito drama para meu filho! 

Em menos de 2 minutos eu só faltei ficar núa para distrai-lo. O "tio Carlos", barbeiro paciente que deixou ele gatão, passava de um lado para o outro, cheio de técnicas e truques, vez ou outra catando as capinhas de celular  no chão e deixando ele brincar com seu espanador de cabelo. Ao redor ninguém nos olhava e parecia mesmo que ninguém estava se importando com a revolta do Raphael. Mas eu não parava de imaginar como ficaria o make off de preparação do casamento que estava sendo feito do nosso lado.

O corte não demorou nem 20 minutos e o Raphael só deixou fazer o "pé" depois que a mamãe ocupou o lugar e acalmou a fera com o poderoso "mamazinho". Irônico como lactantes sofrem preconceito por amamentar em público e lá estava eu, em um ambiente masculino, rodeada de homens e sem absolutamente nenhum olhar torto me deixando desconfortável.

"E a mamãe achou que não fosse dar para fazer esse corte em, como que não dá?!" Eu quase morri de amores em ver meu ex bebê cabeludo, com cara de hominho. Se a Luna estivesse com a gente naquele momento, com certeza ela diria que essa foi "a melhor experiência de todas". Sem esquecer de contar que além de um dia de príncipe, o Raphael ainda teve o prazer de conhecer um ídolo do futebol, Vagner Love #artilheirodoamor. Ta certo que o papai ficou mais contente que ele com esse encontro, mas tá valendo (risos).


Obrigada a todos os profissionais da ThanKful, pelo primeiro corte do nosso filho, por tornarem a nossa "primeira vez" especial e pela paciência. Até mês que vem! Escrito em 13/06

6 de junho de 2016

Um blablablá todo a ver com o Raphael.


Eu me tornei mãe.

De repente eu perdi todas as minhas noites de sono, eu nem sei mais o que é comer com calma. Sabe o que eu aprendi? A tomar banho cronometrado e acredite, sou capaz de lavar meu cabelão em menos de 5 minutos. 

Eu sonhava em ter minha casa organizada e arrumada, mas por onde eu ando piso em carrinhos, legos e quaisquer outros apetrechos que o Raphael faça de brinquedo.
Só essa semana perdi duas coisas, eu realmente não faço ideia de como um ser tão pequenininho, tenha tamanha inteligencia na hora de guardar bem guardado as coisas, a ponto de esconde-las onde nem mesmo São Longuinho possa encontrar.

Eu sabia fazer miojo bem feito, mas o Raphael me ensinou a fazer umas sopinhas de legumes que são um arraso. Eu dizia que quando eu tivesse um filho ele seria altamente educado e nunca faria mal criação e eu bem que abria a boca para julgar crianças choronas, cá estou eu pagando pela língua, com uma criança de 11 meses que, sabe se lá porque se joga pra trás quando é contrariado.

Eu virei mãe e passei a demorar cinco vezes mais tempo para arrumar uma simples bolsa antes de sair de casa. Antes o André reclamava do peso das minhas mochilas cheias de maquiagem e hoje se você encontrar mais de dois batons é raro. Eu nunca ouvia quando algum mais velho dizia para não esquecer o guarda chuva e simplesmente como magica, depois que o Raphael nasceu eu só saio de casa depois de checar a bolsa umas 3 vezes, acredita que mesmo assim eu ainda sou capaz de esquecer uma meia?

Eu ainda dizia que meu filho só andaria bem vestido e penteado. Enchia o peito para dizer que deveria ser maior prazer arrumar os filhos para passear, e realmente é. Mas se você me encontrar na rua desprevenida com o Raphael pode ser que veja meu filho descabelado e as vezes somente com um body e um shortinho de casa, não dá p. ficar horas arrumando ele as 7 da manha para ir a babá.

Eu também disse algumas vezes que não daria doces ao meu filho, porque ele nem conhece esse tipo de gosto ainda e faz tão mal as crianças. Mas na semana passada me peguei com o coração apertado de guardar na bolsa um pingo de leite que a tia do doce deu a ele com carinho. Ah, que mal fará ele morder um pedacinho não é mesmo? E em questão de segundos ele finalizou o doce inteiro, é claro que eu estou até hoje me culpando e se ele sentisse dor de barriga eu acho que estaria agora em uma psicologa para tentar tirar a culpa de mim.

O Raphael também causou algo dentro de mim que eu mesma chamei de ''choro livre'', não que meu coração fosse de pedra antes dele nascer, mas após o nascimento, até o ''boa noite'' do Willian Boner me faz chorar de emoção. Mães são realmente dramáticas e sentimentais.

Esse final de semana meu cunhado de dezoito anos resolveu que queria ir a Lapa com os amigos e ainda pediu a mãe dele um dinheiro para comprar bebida alcoólica. Eu fiquei horas pensando nisso, a uns anos atrás, eu era essa adolescente, e aquela noite eu quase nem dormi, preocupada em como ele voltaria para casa.

A gente vira mãe e vira outra mulher, ou vira mulher de verdade, vai saber... Eu não sei muito bem, porque se tem uma característica de mãe, é que elas sabem tudo e ao mesmo tempo vivem na incerteza. Mas eu dormi de barriga sem nenhum poder e acordei magra novamente, muito mais bonita que antes e cheia de super poderes, na minha humildade, eu até consigo adivinhar os sentimentos de alguém decifrando apenas tipos de choros, na real, mães são realmente mágicas.

3 de junho de 2016

Raphael em 1º aniversário: A escolha da ''Minha Equipe''.

Lá estava eu com uma vida minúscula nos meus braços, sugando todas as minhas energias freneticamente para saciar a fome (com certeza em breve eu farei um post sobre o prazer que é amamentar), mas hoje vim deixar um gostinho de quero mais compartilhando com vocês algumas coisas sobre a tão sonhada (sonho meu e do André) primeira festa de aniversario do nosso Raphael.

O Phael deveria ter uns três meses apenas, quando eu encarei aqueles carrinhos de madeira nas cores azul e amarelo e sem querer ou esperar escolhi o tema da festa. Aqueles carrinhos vintage, foram presentes da tia Suzete, que sempre paparicou o Raphael desde a barriga, com festinha na escola de dança, roupinhas, fraldas e amor. Quando ela foi visitar nosso bebê, ela disse que aquilo era apenas uma lembrancinha, que achou a nossa cara. Mal sabia ela que ali havia, de parcela, escolhido o tema da tão sonhada festa.

Nós somos um casal meio antigo, eu vivia descendo a ladeira de um morro em cima de uma madeira coberta de óleo para pegar velocidade, ele vivia subindo em árvores e correndo de um lado para o outro brincando de brincadeiras de rua como ''taco'' por exemplo. Essa tecnologia e "a nova" diversão das crianças nos assusta.

 ''Quero usar esses carrinhos como tema da festa do Raphael! O tema será brinquedos antigos!'' O André nem exitou e rapidamente entrou no balão comigo e começou a viajar. ''Vamos reviver a infância!'' E foi aí que começamos a corrida para a realização da festa do nosso Phael.

O primeiro problema que encontramos lá em 2015 quando começamos a planejar a festa, foi não encontrar absolutamente nada sobre o bendito tema escolhido, eu teria que criar tudo. No começo eu corri atrás de casa de festa e dentro de umas 5 ligações eu recebi um não, pois não tinham meu tema e não trabalhavam com ele. 

Então tive que correr contra o tempo atrás de decoradoras que aceitassem criar temas novos e embarcasse no que eu escolhi. Devo ter feito para lá de 15 orçamentos com decoradoras diferentes, explicando detalhadamente minhas vontades.

Tudo isso é bem a minha cara não é mesmo? Escolher algo difícil, novo e até então diferente. Diferente ... Diferente mesmo? Pois é, me vi de cabelo em pé (quem me conhece bem, deve imaginar) quando comecei a notar que em dentro de alguns meses o universo inteiro teve a mesma ideia que eu.

Dia após dia eu fazia uma nova busca e todo final de semana aparecia uma festa nova com os temas: brinquedos, brinquedos de meninos, brinquedos antigos e por ai vai... Mas para a surpresa dos meus leitores mais antigos, eu não entrei em loucura, não mudei de ideia, não surtei, nem nada disso. Pelo contrário, quanto mais via ideias do tema surgirem, mais contava os dias para começar a produção da nossa festa.

Corri daqui, corre dali, sonha alto, acha que nada vai dar certo, não quer ter trabalho, quer se meter em todos os detalhes, quer ajuda de todos, não quer ninguém se metendo e então, depois de milhares de orçamentos e ter entrado em uns 15 grupos diferentes sobre festas no facebook eu consegui escolher ''minha equipe''. 

Waleska Ferraz - Decoração
Debora Ribeiro - Brinquedos e Animação
Thays Lopes - Buffet Completo (comidas, bebidas e doces)
Cecília Fonseca - Fotográfia

É uma sensação gratificante de que a realização de um sonho está nas mãos de quatro super mulheres!

Meninas, agora é com vocês! A mamãe aqui ja entrou na fase de ter insonia imaginando a festa. Como o intuito da postagem é apenas deixar pra vocês minhas enfim  definitivas escolhas, quero citar o nome de alguém que eu nem esperava, mas me ajudou demais nas escolhas e recomendações, Lorrane obrigada pela ajuda! Após a festa vou contar detalhadamente como foi meu processo de escolha para vocês.

Ontem entrei literalmente em contagem regressiva, faltando exatamente um mês para a nossa sonhada festa. Corre, que parece que foi ontem que ele nasceu, mas falta menos do que imaginamos para completar um ano!
Raphael em, 1º aniversário ♥
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...